Segunda-feira, 30 de Dezembro de 2013

…penetro o Teu mistério de amor e tomo parte da vida nova que me ofereces nos Sacramentos de Iniciação Cristã e que me desafia a servir-Te e anunciar-Te a todos os homens!

 

Do Catecismo da Igreja Católica:

 

1275. A iniciação cristã faz-se pelo conjunto de três sacramentos: o Baptismo, que é o princípio da vida nova; a Confirmação, que é a consolidação da mesma vida; e a Eucaristia, que alimenta o discípulo com o corpo e sangue de Cristo, em vista da sua transformação n'Ele.

 

1276. «Ide, pois, fazei discípulos de todas as nações, baptizai-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, e ensinai-os a cumprir tudo quanto vos mandei» (Mt 28, 19-20).

 

Arciprestado de V. N. Famalicão



publicado por arciprestadovnfamalicao às 14:24 | link do post | comentar

Segunda-feira, 23 de Dezembro de 2013

 

Natal: da Luz recebida à Luz oferecida

A escassos dias de celebrarmos a grande festa do Natal, facilmente percebemos que este é... um tempo cheio de luz! Tudo à nossa volta ganha um novo brilho, há luzes coloridas e chamativas por todo o lado: nas ruas, nas casas, nos espaços comerciais. No entanto, sabemos que essas luzes se apagarão quando terminarem os dias festivos, como se denunciassem um apagar das razões da nossa alegria e voltássemos a mergulhar numa realidade triste e escura!
Porém, o Natal é e comunica uma outra Luz, maior e sem igual, incomparável com todas as outras, a Luz verdadeira, que jamais se apaga: Jesus. Ele é o Deus plenamente revelado, a Palavra incarnada que vem ao nosso encontro por amor e para nossa salvação, como anuncia S. João no início do seu Evangelho: “O Verbo era a luz verdadeira, que, vindo ao mundo, ilumina todo o homem” (Jo 1, 9).
Jesus é, caras amigas e amigos, a única Luz sem ocaso, que sempre nos acompanha, que nos fortalece na Fé e que, particularmente, ilumina o nosso caminho de Advento na medida em que nos desafia a acender as candeias do nosso coração para que a nossa vida se ilumine para celebrarmos a alegria do Natal.
No entanto, para descobrir essa Luz é necessário viver em permanente atitude vigilante, com o coração cheio de esperança e confiança, como também o Advento nos ensina. Para se vislumbrar essa Luz é necessário olhar para Belém, onde ela brilha. Olhar, entrar, penetrar na simplicidade, na pobreza bela de Belém, na humildade daquela pobre, escura e fria gruta de animais, onde nasceu o Rei do amor, o Salvador do mundo, a nossa maior riqueza! No fundo, é preciso ser-se humilde, puro e simples para ver Jesus e deixar-se iluminar por Ele e transformar pelo dom da Fé. Por isso, estes tempos austeros que nos impõem menor abundância material e maior contenção de gastos, apresentam-nos um momento privilegiado de regressarmos ao verdadeiro Natal. Possibilitando-nos a clarividência para vermos a verdadeira Luz, a Luz da Fé, e nos deixarmos conduzir por ela, podemos perceber que mesmo na escuridão cerrada de uma crise ou de muitas crises, ela há-de sempre brilhar com intensidade e fulgor!
Esta é, assim, a Luz que precisa brilhar nas nossas vidas. Porém, esta é uma Luz que não podemos “esconder” dentro de nós; é uma Luz que tem de irradiar para os outros, que se comunica, que se dá como penhor de esperança e salvação! No Natal, tempo de troca de presentes, Jesus é Luz que recebemos de Deus, mas também a Luz que precisamos oferecer a cada irmão com a nossa vida e o nosso testemunho de Fé!
Por isso, deixar-se iluminar pela Luz do Natal de Jesus é assumir o desafio de sairmos de nós e sermos no mundo candeias acesas que anunciam a alegria de crer e celebrar a Fé! Viver o verdadeiro Natal é sair das trevas do nosso egoísmo e individualismo, sendo arautos da Luz, anunciando a Boa Nova a todos os homens, pois, como refere o Papa Francisco no nº 21 da Exortação Apostólica Evangelli Gaudium, “a alegria do Evangelho, que enche a vida da comunidade dos discípulos, é uma alegria missionária”.
Eis o grande desafio que vos deixo a todos, irmãos na fé em Jesus Cristo, e a todos os homens e mulheres de boa vontade: façamos do Natal a grande festa da Luz… da Luz recebida de Jesus Menino, que reacende em nós a chama da Fé e nos cura de todas as dores… da Luz que, como Igreja, precisamos de anunciar a todos e celebrar com todos, pois, como enfatiza o Santo Padre “a alegria do Evangelho é para todo o povo, não se pode excluir ninguém; assim foi anunciada pelo anjo aos pastores de Belém: «Não temais, pois anuncio-vos uma grande alegria, que o será para todo o povo» (Lc 2,10)” (EG 23).
Um Santo e Feliz Natal.
Um Próspero e fecundo ano de 2014 a todos os que caminham à LUZ do Senhor!

P.e Paulino Carvalh
o

 



publicado por arciprestadovnfamalicao às 18:51 | link do post | comentar

…celebro uma liturgia que, exprimindo-se na cultura do povo a que pertenço, comunica a unidade do Teu mistério, promovendo a comunhão na Fé e nos Sacramentos recebidos dos Apóstolos, para que, unido fielmente a Ti e a todos os irmãos, eu experimente a alegria de Te celebrar e amar cada vez mais!

 

Do Catecismo da Igreja Católica:

 

1207. Convém que a celebração da liturgia tenda a exprimir-se na cultura do povo em que a Igreja se encontra, sem se submeter a ela. Por outro lado, a própria liturgia é geradora e formadora de culturas.

 

1208. As diversas tradições litúrgicas, ou ritos, legitimamente reconhecidas, uma vez que significam e comunicam o mesmo mistério de Cristo, manifestam a catolicidade da Igreja.

 

1209O critério que garante a unidade na pluriformidade das tradições litúrgicas é a fidelidade à Tradição apostólica, quer dizer: a comunhão na fé e nos sacramentos recebidos dos Apóstolos, comunhão que é significada e garantida pela sucessão apostólica.

 

Arciprestado de V. N. Famalicão



publicado por arciprestadovnfamalicao às 11:33 | link do post | comentar

Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2013

…sou chamado a ser templo do Espírito Santo e pedra viva que edifica a Tua Igreja, para que nas nossas igrejas, lugares sagrados, eu me reúna em comunidade para Te celebrar, Deus de Amor, Uno e Trino, que Te ofereces para nossa Salvação!

 

Do Catecismo da Igreja Católica:


1197. Cristo é o verdadeiro Templo de Deus, «o lugar em que reside a sua glória»; pela graça de Deus, também os cristãos se tornam templos do Espírito Santo, pedras vivas com que se constrói a Igreja.


1198. Na sua condição terrena, a Igreja tem necessidade de lugares onde a comunidade possa reunir-se: as nossas igrejas visíveis, lugares sagrados, imagens da Cidade santa, da Jerusalém celeste para a qual caminhamos como peregrinos.


1199É nestas igrejas que a Igreja celebra o culto público para glória da Santíssima Trindade, ouve a Palavra de Deus e canta os seus louvores, eleva a sua oração e oferece o sacrifício de Cristo, sacramentalmente presente no meio da assembleia. Estas igrejas são também lugares de recolhimento e de oração pessoal.

 

Arciprestado de V. N. Famalicão



publicado por arciprestadovnfamalicao às 16:48 | link do post | comentar

Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2013

 

 

Realizou-se no passado sábado, dia 7 de Dezembro, um encontro de formação destinado aos Leitores e Ministros Extraordinários da Comunhão (MEC’s) das diferentes paróquias do Arciprestado de V. N. Famalicão.

Este encontro, naquela que é uma iniciativa, desde há uns anos a esta parte, da Comissão Arquidiocesana da Liturgia, através do Departamento Arciprestal da Pastoral Litúrgica, teve lugar no Centro Pastoral de Famalicão, iniciando às 9h30 da manhã e contando com a presença de um elevado número de Leitores e MEC’s.

Depois das boas-vindas aos presentes e da oração inicial, conduzida pelo P.e Daniel Neves, Delegado Arciprestal da Pastoral Litúrgica e Sacramentos, seguiu-se um momento de formação, orientado pelos dois diáconos que se encontram a realizar o seu estágio pastoral em diferentes paróquias do Arciprestado de V. N. Famalicão.

Assim, a primeira parte da manhã esteve a cargo do Diácono Nuno Castro, que centrou a sua apresentação num dos documentos emanados do Concílio Vaticano II, a Constituição Sacrossanctum Concilium, por ser precisamente este o documento escolhido pela Arquidiocese de Braga para melhor ajudar a viver este ano dedicado à temática da “Fé Celebrada”.

Procurando apresentar uma visão geral desta Constituição sobre a Sagrada Liturgia, e explicando a sua estrutura, o orador salientou a importância de “celebrarmos o que estamos a viver e de participarmos activamente, pois a Liturgia celebra-se com a vida”. Ao mesmo tempo, e explicando “a Liturgia como meta e fonte da acção da Igreja”, enfatizou a importância de “nos colocarmos na presença de Deus e de sentirmos que somos filhos amados”, na medida em que isso “nos pode mover o coração e nos fazer tender para a perfeição”. No fundo, e como referiu, a Liturgia e todo o ciclo do Ano Litúrgico, deve ajudar cada um a descobrir que Deus é a resposta à pergunta “De Quem venho e para Quem vou?”.

A segunda parte do encontro, conduzida pelo Diácono Pedro Novais, corroborando que “precisamos sentir o que estamos a viver e a celebrar”, incidiu sobre a estrutura da Eucaristia, procurando explicar a mesma, assim como os diferentes prefácios previstos, fazendo o paralelismo com diferentes obras de arte, espalhadas por museus e igrejas do mundo inteiro, que procuram ser expressão da perfeição e do amor divinos.

 

Departamento Arciprestal da Comunicação Social



publicado por arciprestadovnfamalicao às 17:52 | link do post | comentar

Segunda-feira, 9 de Dezembro de 2013

…sou tocado pelo testemunho de Fé de Maria, Tua Mãe, e de todos os santos que me interpelam a louvar-Te, a cantar a Tua glória, a rezar com esperança a partir da Tua Palavra e a caminhar com confiança e alegria para Ti!

 

Do Catecismo da Igreja Católica:


1195. Celebrando a memória dos santos, em primeiro lugar da Santa Mãe de Deus, depois dos Apóstolos, dos mártires e dos outros santos, em dias fixos do ano litúrgico, a Igreja da terra manifesta a sua união à liturgia celeste; glorifica Cristo por ter realizado a salvação nos seus membros glorificados; o exemplo deles é para ela um estímulo no seu peregrinar para o Pai.


1196. Os fiéis que celebram a Liturgia das Horas unem-se a Cristo, nosso Sumo-Sacerdote, pela oração dos salmos, a meditação da Palavra de Deus, os cânticos e as bênçãos, a fim de serem associados à sua oração contínua e universal, que dá glória ao Pai e implora o dom do Espírito Santo sobre o mundo inteiro.

 

Arciprestado de V. N. Famalicão



publicado por arciprestadovnfamalicao às 15:23 | link do post | comentar

Quinta-feira, 5 de Dezembro de 2013

 

 

Na passada sexta-feira, dia 29 de Novembro, a Equipa Arciprestal de Catequese de V. N. de Famalicão promoveu um encontro de Recolecção destinado a todos os catequistas do Arciprestado, procurando proporcionar aos participantes um serão diferente com o objectivo de melhor os preparar e introduzir no tempo do Advento, o tempo litúrgico de preparação para o Natal, iniciado, precisamente, no último fim-de-semana.

Esta iniciativa, realizada no Seminário dos Missionários Combonianos, em Antas, a partir das 21h00, reuniu mais de uma centena de catequistas, provenientes de inúmeras paróquias do Arciprestado, que, apesar de estar uma noite particularmente fria, saíram de suas casas para viver um momento privilegiado de celebração, manifestação e fortalecimento da sua Fé.

Assim, depois de uma reflexão inicial, que procurou interpelar cada um às atitudes próprias do Advento, como a vigilância interior e a vivência de uma espera activa e confiada, caminhando à luz do Senhor, tal como enfatiza a caminhada proposta pelo Arciprestado para este tempo litúrgico, seguiu-se um tempo de adoração ao Santíssimo Sacramento, presidido pelo P.e António Loureiro, Assistente da Equipa Arciprestal de Catequese. Durante mais de uma hora os catequistas ficaram diante de Jesus Sacramentado, em atitude orante e contemplativa, vivendo-se um momento de particular intensidade e beleza, enriquecido pelas orações, palavras e cânticos que cada um, livre e espontaneamente, foi partilhando, intercalando-os com momentos de silêncio. Ao mesmo tempo, os catequistas que desejaram tiveram também a possibilidade de receber o Sacramento da Reconciliação, uma forma privilegiada de melhor se viver o Advento e preparar interiormente a grandiosa festa do Natal.

No final, depois de aquecido o espírito, os catequistas puderam também confortar e aquecer o corpo, tomando parte de um pequeno convívio, que constituiu um novo momento de partilha e feliz confraternização entre todos.

 

Departamento Arciprestal da Comunicação Social



publicado por arciprestadovnfamalicao às 17:58 | link do post | comentar

Quarta-feira, 4 de Dezembro de 2013


No próximo sábado, dia 7 de Dezembro, os Leitores e Ministros Extraordinários da Comunhão (MEC’s) provenientes das diferentes paróquias do Arciprestado de V. N. Famalicão terão oportunidade de viver um momento de formação, orientado, desta feita, pelo P.e Daniel Neves, Delegado Arciprestal da Pastoral Litúrgica e Sacramentos, assim como pelos Diáconos Nuno Castro e Pedro Novais, que se encontram a realizar o seu estágio pastoral em diferentes paróquias do Arciprestado.

Trata-se de uma iniciativa da Comissão Arquidiocesana da Liturgia, através do Departamento Arciprestal da Pastoral Litúrgica, que procura promover ao longo deste ano pastoral, tal como tem acontecido nos últimos anos, um dia de formação destinado aos Leitores e MEC’s que exercem o seu ministério na Arquidiocese e em cada Arciprestado. Para se tornar mais próxima de todos e facilitar a participação de um maior número de pessoas, esta formação, é realizada em diferentes Arciprestados, em dias diferentes.

Deste modo, este encontro terá lugar no Centro Pastoral de Famalicão, iniciando às 9h30 e terminando por volta das 12h30, sendo possível realizar a recondução para os MEC’s que necessitem de a fazer e que trataram previamente da respectiva documentação.

O Arciprestado de V. N. Famalicão desafia, assim, todos os Leitores e MEC’s das diferentes comunidades a viver mais este momento de formação, que os ajudará a desenvolver uma consciência mais séria e comprometida relativamente ao serviço que prestam nas suas comunidades paroquiais, para que sejam verdadeiros testemunhos de Fé, capazes de contagiar os outros com a alegria de celebrar essa mesma Fé na grande festa dos Sacramentos.


Departamento Arciprestal da Comunicação Social



publicado por arciprestadovnfamalicao às 19:00 | link do post | comentar

 

 

Faleceu no passado Domingo, dia 1 de Dezembro, no Brasil, D. António Lino da Silva Diniz, Bispo da Diocese de Itumbiara, Estado de Goiás, que era natural da freguesia de Oliveira S. Mateus, Arciprestado de V. N. Famalicão, e foi ordenado como Padre da Arquidiocese de Braga.

D. António Lino da Silva Diniz nasceu a 22 de Fevereiro de 1943, frequentou os Seminários Arquidiocesanos de Braga e foi ordenado Padre em 15 de Agosto de 1966, em Braga. A convite do então Bispo Diocesano de Sete Lagoas (Minas Gerais), D. Daniel Tavares, foi enviado para o Brasil em Fevereiro 1967. Chegado ao Brasil foi nomeado Vigário Paroquial e, em Dezembro de 1968, pároco da Catedral de Santo.

Permaneceu em Sete Lagoas até Agosto de 1988. Nesse período introduziu na Diocese o Movimento de Emaús e Pastoral de Juventude, Cursilhos de Cristandade e Encontro de Casais com Cristo. Entre 1977 e 1978 frequentou em Roma um curso de espiritualidade sacerdotal. De 1978 a 1988 foi director espiritual no Seminário Diocesano São Pio X, em Sete Lagoas. Em 1988 voltou à Arquidiocese de Braga, sendo nomeado pároco de Areias e Lama, duas paróquias do Arciprestado de V. N. Famalicão.

Em Setembro de 1991, retornou à Diocese de Sete Lagoas, sendo encarregado de iniciar a formação da paróquia de São Pedro, onde foi pároco e também capelão da Santa Casa de Nossa Senhora das Graças. Em Dezembro de 1994 foi nomeado reitor do Seminário Maior São Pio X. Foi director Espiritual do Movimento de Encontro de Casais com Cristo no Regional Leste 2. A Ordenação Episcopal, que contou com a presença de D. Jorge Ortiga, Arcebispo Primaz de Braga, aconteceu em 1 de Maio de 1999, em Sete Lagoas, Minas Gerais, tendo tomado por lema: “In Omnibus Christus” (Col. 3,11).

O funeral de D. António Lino da Silva Diniz, que segundo a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil se encontrava doente “há algum tempo” e faleceu vítima de “insuficiência respiratória”, realizou-se no dia 3 de Dezembro, terça-feira, no Brasil. Na impossibilidade de D. Jorge Ortiga participar nas exéquias, será celebrada eucaristia de 7.º dia na Sé Catedral de Braga no dia 5 de Dezembro, Festa de S. Geraldo, às 17h30.

Também no próximo sábado, dia 7, será celebrada na Igreja Paroquial de S. Mateus de Oliveira, paróquia de origem do prelado, missa de 7º dia, às 17h00.

Tratando-se de um bispo natural de Vila Nova de Famalicão, o Arciprestado, na pessoa de cada um dos seus sacerdotes e de todos os cristãos, presta aqui uma singela homenagem a D. António Lino, reiterando à sua família as mais sentidas condolências.

 

Departamento Arciprestal da Comunicação Social



publicado por arciprestadovnfamalicao às 15:42 | link do post | comentar

Segunda-feira, 2 de Dezembro de 2013

…vivo o Domingo, o Teu dia, Senhor, e redescubro em assembleia festiva a alegria da Tua ressurreição, para que, semana a semana, eu permaneça em Ti, na certeza que, por amor, encarnaste, viveste, morreste, ressuscitaste e vives connosco para sempre!

 

Do Catecismo da Igreja Católica:

 

1193. 0 Domingo, «Dia do Senhor», é o dia principal da celebração da Eucaristia, porque é o dia da ressurreição. É o dia por excelência da assembleia litúrgica, o dia da família cristã, o dia da alegria e do descanso do trabalho. É «o fundamento e o núcleo de todo o ano litúrgico»  (1).

 

1194. A Igreja «desdobra todo o mistério de Cristo durante o ciclo anual, desde a Encarnação e o Natal até à Ascensão, ao dia do Pentecostes e à expectativa da feliz esperança e da vinda do Senhor»  (2).

 

(1). II Concílio do Vaticano, Const. SacrosanctumConcilium, 106: AAS 56 (1964) 126.

(2). II Concílio do Vaticano, Const. SacrosanctumConcilium, 102: AAS 56 (1964) 125.

  

Arciprestado de V. N. Famalicão



publicado por arciprestadovnfamalicao às 13:32 | link do post | comentar

Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
17
18

19
20
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

Equipa Arciprestal de Cat...

Antiga Matriz de Famalicã...

Clero de Famalicão reunid...

Desperta Esperança!

ARTIGO DO P.E MÁRIO MARTI...

Arciprestado de Famalicão...

Desperta Esperança!

D. Jorge Ortiga visitou e...

Arquidiocese de Braga cel...

Desperta Esperança!

arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

facebook
links
blogs SAPO
subscrever feeds