Terça-feira, 27 de Janeiro de 2015

Salvos e aconchegados no colo de um Amor maior

Que a todos precisa ser fiel e ousadamente anunciado,

Na edificação sólida, desinibida e comprometida da justiça,

Que se ergue em gestos solidários de partilha e alegre doação!

 

Do Catecismo da Igreja Católica:

  1. A sociedade assegura a justiça social, realizando as condições que permitem às associações e aos indivíduos obterem o que lhes é devido.
  2. O respeito pela pessoa humana considera o outro como «outro eu». Supõe o respeito pelos direitos fundamentais, decorrentes da dignidade intrínseca da pessoa.
  3. A igualdade entre os homens assenta na sua dignidade pessoal e nos direitos que dela dimanam.
  4. As diferenças entre as pessoas fazem parte do desígnio de Deus que quer que precisemos uns dos outros. Devem estimular a caridade.
  5. A igual dignidade das pessoas humanas exige esforços no sentido de reduzir desigualdades sociais e económicas excessivas. Conduz ao desaparecimento das desigualdades iníquas.
  6. A solidariedade é uma virtude eminentemente cristã. Pratica a partilha dos bens espirituais, ainda mais que a dos materiais.

 

Arciprestado de V. N. Famalicão



publicado por arciprestadovnfamalicao às 17:10 | link do post | comentar

Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2015

Cartaz.png

 No próximo dia 31 de Janeiro (sábado), a Equipa Arciprestal de Catequese de V. N. de Famalicão leva a efeito mais um Encontro Arciprestal de Catequistas. Este encontro, que se realiza uma vez por ano, vai já na sua oitava edição, sendo desta feita subordinado ao tema “Viv’à Fé”, em consonância com a temática proposta pela nossa Arquidiocese de Braga para este ano pastoral, “Fé Vivida”.

Trata-se de um momento de formação, partilha e convívio, destinado a todos os catequistas do Arciprestado, com início marcado para as 14h00, com o acolhimento no Centro Paroquial de Calendário, seguindo-se, às 14h30, uma conferência a cargo do Cón. Luís Miguel Figueiredo, Presidente da Comissão Arquidiocesana para a Educação Cristã, sobre a Constituição Pastoral “Gaudium et Spes” emanada do Concílio Vaticano II que, neste ano pastoral, serve de fundamento e inspiração ao programa proposto pela Arquidiocese.

Terminada a conferência, por volta das 15h30, segue-se a arruada, com o grande grupo dos catequistas participantes a seguir, todos juntos, por várias ruas da cidade e interpelando todos com o seu testemunho e com a sua presença, em caminhada até à Igreja Nova Matriz de V. N. Famalicão, onde a chegada está prevista por volta das 16h30. Depois de um breve momento de oração, segue-se o lanche, às 17h00, no Centro Pastoral de V. N. Famalicão.

As inscrições para participar neste encontro devem ser feitas nas paróquias ou junto da Equipa Arciprestal, por meio de uma ficha preparada para o efeito, que deverá ser entregue com a maior brevidade possível. Para qualquer dúvida ou esclarecimento, a equipa pode ser contactada através do e-mail catequesefamalicao@gmail.com.

Deste modo, a Equipa Arciprestal de Catequese apela aos catequistas de todo o Arciprestado para que participem nesta “tarde de formação, mas também de encontro e reencontro, partilha e convívio para todos, podendo usufruir, assim, de mais uma oportunidade para melhor e de forma mais comprometida viverem a Fé, contagiando depois outros, na catequese e na vida, para essa vivência mais apaixonada do Evangelho que nos aponta sempre para os caminhos do Amor”.

 

Departamento Arciprestal da Comunicação Social



publicado por arciprestadovnfamalicao às 17:54 | link do post | comentar

Terça-feira, 20 de Janeiro de 2015

Procuradores e promotores do bem comum,

Defensores da dignidade da pessoa humana,

Para que o respeito, a prosperidade, a paz, a segurança e a justiça

Sejam içadas como bandeiras da alegria e da esperança!

 

Do Catecismo da Igreja Católica:

1924.O bem comum abrange «o conjunto das condições sociais que permitem aos grupos e às pessoas atingir a sua perfeição, do modo mais pleno e fácil» (1).

1925. O bem comum inclui três elementos essenciais: o respeito e a promoção dos direitos fundamentais da pessoa; a prosperidade ou desenvolvimento dos bens espirituais e temporais da sociedade; a paz e a segurança do grupo e dos seus membros.

1926. A dignidade da pessoa humana implica a busca do bem comum. Cada qual deve preocupar-se em suscitar e sustentar instituições que melhorem as condições da vida humana.

1927. Compete ao Estado defender e promover o bem comum da sociedade civil. O bem comum de toda a família humana exige uma organização da sociedade internacional.

 

(1). II Concílio do Vaticano, Const. past. Gaudiumetspes, 26: AAS 58 (1966) 1046.

 

Arciprestado de V. N. Famalicão



publicado por arciprestadovnfamalicao às 17:17 | link do post | comentar

Sexta-feira, 16 de Janeiro de 2015

 

Realizou-se na passada quarta-feira, dia 7, o já tradicional Encontro de Reis do Clero de V. N. Famalicão, que contou também com a presença do Bispo Auxiliar de Braga, D. Francisco Senra.

O encontro iniciou com a oração de Laudes no Mosteiro de Landim. Depois, já no Real Colégio de Landim, foram dadas as boas vindas a todos os presentes.

Toda a primeira parte do encontro foi preenchida pela reflexão e comentário do P. Sérgio Torres ao livro “Uma nova oportunidade para o Evangelho”. Neste âmbito, o orador esclareceu os sacerdotes sobre as dúvidas existentes, após a leitura das primeiras noventa páginas que ficaram para serem lidas e meditadas desde o último encontro. O debate foi enriquecedor, observando-se um especial interesse dos sacerdotes em aprofundar o modo de estar e de agir numa pastoral que cada vez é mais exigente e obriga a um olhar novo e atento sobre a sociedade à nossa volta. Neste sentido, concluiu-se que “a Igreja deve estar presente com uma atitude de aprendizagem, de modo que as pessoas se decidam a acolher e a receber a Boa Nova”.

Na segunda parte da manhã procedeu-se à avaliação das últimas actividades realizadas, nomeadamente o Retiro para Sacerdotes, o Encontro de Recolecção para Catequistas, o Hi-God, em Famalicão, organizado pelo Grupo Peregrinos, o Conselho Arciprestal, o Encontro Diocesano de Natal do Clero, o XXVII Aniversário da Ordenação Episcopal de D. Jorge Ortiga, o Dia Arquidiocesano do Coordenador Paroquial e a Escola de Ministérios.

Elencaram-se também as várias actividades que irão decorrer ao longo dos próximos meses: Recolecção mensal para o Clero (13 de Janeiro, no Seminário Conciliar); Retiro para Sacerdote no São Bento da Porta Aberta (de 19 a 23 de Janeiro); Encontro Arciprestal de Catequistas (31 de Janeiro); Dia Mundial do Doente (11 de Fevereiro); Encontro Arciprestal do Acólito (14 de Fevereiro); Encontro Mensal do Clero e Celebração de Quarta-feira de Cinzas, Início da Quaresma (18 de Fevereiro); Encontro Arciprestal dos Conselhos Económicos Paroquiais (21 de Fevereiro); Semana de Estudos Teológicos (de 23 a 26 de Fevereiro); Recolecção Mensal para o Clero (24 de Fevereiro).

Posto isto, foi dada a palavra aos Delegados dos Sectores e das Zonas Pastorais do Arciprestado, sendo ainda abordados outros assuntos.

Terminada a reunião com a oração final, o encontro prosseguiu com o tradicional almoço de Reis, em que todos os sacerdotes tiveram oportunidade de confraternizar e viver um momento de descontracção e agradável convívio.

  

Departamento Arciprestal da Comunicação Social



publicado por arciprestadovnfamalicao às 13:43 | link do post | comentar

Segunda-feira, 12 de Janeiro de 2015

Enriquecidos pelo aconchego maternal da comunidade,

Completados pela participação entusiasmada na vida social,

Comprometidos com o exercício da autoridade que emana de Deus

Para alcançar as graças do bem comum e as delícias da autêntica liberdade!

 

Do Catecismo da Igreja Católica:

  1. «Não existe autoridade que não venha de Deus, e as que existem foram por Deus estabelecidas» (Rm 13, 1).
  2. Toda a comunidade humana tem necessidade duma autoridade, para se manter e desenvolver.
  3. «A comunidade política e a autoridade pública têm o seu fundamento na natureza humana, e pertencem, por isso, à ordem estabelecida por Deus» (1).
  4. A autoridade exerce-se de modo legítimo, se se dedicar a conseguir o bem comum da sociedade. Para o atingir, deve empregar meios moralmente aceitáveis.
  5. A diversidade dos regimes políticos é legítima, desde que estas concorram para o bem da comunidade.
  6. A autoridade política deve exercer-se dentro dos limites da ordem moral, e garantir as condições necessárias para o exercício da liberdade.

 

(1). II Concílio do Vaticano, Const. past. Gaudium et spes, 74: AAS 58 (1966) 1096.

 

Arciprestado de V. N. Famalicão



publicado por arciprestadovnfamalicao às 17:48 | link do post | comentar

Sábado, 10 de Janeiro de 2015

L1080313.JPG

 O Santuário de S. Bento da Porta Aberta, no Gerês, vive em 2015 um Ano Jubilar que assinala os 400 anos da sua existência. As comemorações tiveram início no passado dia 4, domingo, com a Eucaristia solene, às 11h00, na cripta do Santuário, que foi marcada por um momento especial, durante o qual foi aceso o “Círio de São Bento”.

Assim, após a Bênção final, o Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, que presidiu à Eucaristia, benzeu e acendeu o “Círio de São Bento” a partir do Círio Pascal. Este Círio de São Bento serviu depois para acender catorze outros círios, correspondentes aos Arciprestados da Arquidiocese de Braga, incluindo o nosso Arciprestado de V. N. Famalicão.

Aos fiéis que participaram na celebração foi distribuída a réplica de um círio alusiva às comemorações do centenário. Depois dos representantes dos Arciprestados terem os seus círios acesos, desceram a nave da cripta, acendendo os dos fiéis.

O acender dos círios foi uma manifestação simbólica da luz de São Bento que, acompanhada de uma pagela com uma oração, servirá para os peregrinos e fiéis rezarem a Deus por intermédio de São Bento, sempre que assim o desejarem.

A iniciativa pretende que durante este ano jubilar as réplicas dos círios possam estar acesas em todos os Arciprestados e na casa de cada um.

O Círio irá continuar aceso durante todo o ano no Santuário e as catorze réplicas distribuídas serão colocadas na matriz de cada arciprestado, de forma a manifestarem o sentido de comunhão que deve presidir à vida de todos os cristãos.

Na homilia proferida, D. Jorge Ortiga desafiou os cristãos para que, depois de se encontrarem com Cristo e de reconhecerem Nele a verdadeira luz, saiam das igrejas e das comunidades para percorrer os caminhos da vida concreta, colocando-se ao serviço dos mais necessitados e dos mais esquecidos da sociedade, enfatizando o quanto “é bom que este encontro com Jesus Cristo nos projecte para fora e nos faça ver a realidade da sociedade e do tempo no qual nós vivemos”.

Segundo o prelado, se o cristão acolher a Luz de Cristo, procurar o exemplo de S. Bento, vendo na sua Regra um modelo, onde existe uma plena integração entre o trabalho e a oração, ele terá que fazer com que “a sua vida brilhe como testemunho”.

As comemorações do 4º centenário do Santuário prolongam-se ao longo de todo o ano, através de diversos momentos importantes, num programa que foi elaborado pela Irmandade de S. Bento e que constitui uma razão adicional para se visitar este Santuário de grande devoção, situado na nossa Arquidiocese de Braga. Um dos momentos altos destas comemorações está agendado para o dia 21 de Março, um Solene Pontifical, presidido pelo Arcebispo, D. Jorge Ortiga, em Rito Bracarense. Depois, a 11 de Julho, dia em que se celebra S. Bento, padroeiro da Europa, surge outro dos pontos altos do programa, com a procissão e missa solene.

 

Departamento Arciprestal da Comunicação Social



publicado por arciprestadovnfamalicao às 16:09 | link do post | comentar

Segunda-feira, 5 de Janeiro de 2015

Escolhidos para a prática da caridade,

Reinventados em gestos de entrega e doação,

Como construtores da justiça e da paz social

E anunciadores entusiasmados do Evangelho!

 

Do Catecismo da Igreja Católica:

  1. Segundo o princípio da subsidiariedade, nem o Estado nem qualquer sociedade mais abrangente devem substituir-se à iniciativa e à responsabilidade das pessoas e dos corpos intermédios.
  2. A sociedade deve favorecer a prática das virtudes, e não impedi-la. Deve inspirar-se numa justa hierarquia de valores.
  3. Onde quer que o pecado perverta o clima social, deve fazer-se apelo à conversão dos corações e à graça de Deus. A caridade incentiva reformas justas. Não existe solução para a questão social fora do Evangelho (1).

 

 (1). Cf. João Paulo II, Enc. Centesimus annus, 5: AAS 83 (1991) 800.

 

Arciprestado de V. N. Famalicão



publicado por arciprestadovnfamalicao às 22:30 | link do post | comentar

Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12

15
16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Coordenadores Paroquiais ...

PARA AJUDAR A MELHOR VIVE...

Formação de Adultos desaf...

Movimentos da Acção Catól...

Movimento “Eu Sou Matriz”...

Dia Internacional do Trab...

Arquidiocese de Braga ini...

Antas acolheu em festa o ...

Novo pároco de Antas toma...

Crismandos de várias comu...

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

facebook
links
blogs SAPO
subscrever feeds