Terça-feira, 29 de Dezembro de 2015

 

“Não temais, porque vos anuncio uma grande alegria para todo o povo: nasceu-vos hoje, na cidade de David, um Salvador, que é Cristo Senhor. Isto vos servirá de sinal: encontrareis um Menino recém-nascido, envolto em panos e deitado numa manjedoura.”

                                                                                                                              (Lucas 2, 10-12)

 

“A pastoral em chave missionária exige o abandono deste cómodo critério pastoral: «fez-se sempre assim.» Convido todos a serem ousados e criativos nesta tarefa de repensar os objectivos, as estruturas, o estilo e os métodos evangelizadores das respectivas comunidades. Uma identificação dos fins, sem uma condigna busca comunitária dos meios para os alcançar, está condenada a traduzir-se em mera fantasia.”

                                                                       (Papa Francisco, A Alegria do Evangelho, 33)

 

“«Paciente e misericordioso» é o binómio que aparece, frequentemente, no Antigo Testamento para descrever a natureza de Deus. O facto de Ele ser misericordioso encontra um reflexo concreto em muitas acções da história da salvação, onde a sua bondade prevalece sobre o castigo e a destruição. (…)Em suma, a misericórdia de Deus não é uma ideia abstracta mas uma realidade concreta, pela qual Ele revela o seu amor como o de um pai e de uma mãe que se comovem pelo próprio filho até ao mais íntimo das suas vísceras. É verdadeiramente caso para dizer que se trata de um amor «visceral». Provém do íntimo como um sentimento profundo, natural, feito de ternura e compaixão, de indulgência e perdão.”

 

   (Papa Francisco, Bula de Proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia)

 

 

Arciprestado de V. N. Famalicão



publicado por arciprestadovnfamalicao às 17:48 | link do post | comentar

Sábado, 26 de Dezembro de 2015

Sem título3.JPGSem título3.JPG

 

Não há Natal sem presépio! Viver bem o Natal é abrir as portas do nosso coração a “Deus que vem”, “na riqueza do Seu amor, falar aos homens como amigos e conversar com eles, a fim de os convidar e admitir à Sua comunhão”. Eis uma bela e boa razão que motivou e uniu a comunidade paroquial de São Mamede de Sezures, Arciprestado de Vila Nova de Famalicão, a construir, anualmente, um lindo presépio, imitando S. Francisco de Assis. Este homem, pobre e santo, amava tanto Jesus pobre e humilde que quis viver, ao vivo, a beleza do nascimento do Salvador da humanidade, construindo o primeiro presépio, no ano de 1223, na floresta de Greccio, em Itália. O exemplo, por ser de sentido intenso, belo e atraente, espalhou-se, rapidamente, por todo o mundo. Mas a nossa sociedade, consumista e laica, luta para que se esqueça e apague este símbolo que nos recorda o Deus/Amor que desce para “revelar o homem a si próprio”, sua suprema dignidade e “sentido da existência no mundo” e a beleza da “vocação divina”, desejando outros símbolos que nada dizem e condizem com o verdadeiro espírito natalício.

Deste modo, em contracorrente, os jovens da comunidade de Sezures, contando com a especial ajuda, engenho e saber dos mais velhos, constroem um presépio que ocupa um quarto da Igreja paroquial, “casa entre as casas dos filhos e filhas do Deus Menino”. Segundo o pároco, o P.e José Pedro Novais, “nele podemos contemplar e meditar o nascimento de Jesus Cristo, fazer memória, revivendo os hábitos e costumes da nobre gente desta linda terra”, acrescentando que “Sezures é como um presépio, plantado na encosta de São Vicente”. O presépio “mostra bem que o Menino, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem, deseja visitar e habitar nesta querida e amada terra. Creio mesmo que Ele habita, já, os corações de cada homem e mulher de Sezures”, refere o sacerdote. “Quem observar o presépio, feito por mãos humanas, recorda que o Menino Deus nos diz, com todo o carinho e amor: «olha que Eu estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, EU entrarei na sua casa e cearei com ele e ele comigo»”, enfatiza o pároco. Em jeito de conclusão, o presbítero sublinha ainda, dirigindo-se a todos: “Não tenhais medo de deixar que Deus entre nos vossos corações: Deus vos ama. Se assim é, dirigimos, a todos, um convite amigo, no sentido de visitarem Sezures para apreciar a beleza que o presépio manifesta. Não permitam, nunca, que as coisas do mundo ofusquem um dos maiores símbolos do Natal cristão”.

Esta maravilha, fruto do trabalho e engenho da comunidade de Sezures, poderá ser visitada e observada nos seguintes dias:25 de Dezembro; 27 de Dezembro; 01 de Janeiro; 03 de Janeiro; 10 de Janeiro; 17 Janeiro.



publicado por arciprestadovnfamalicao às 14:58 | link do post | comentar

P.e.Armindo.Paulo.jpeg

 

Anunciadores e Portadores da Misericórdia do Pai

 

Sua Santidade, o Papa Francisco, não se cansa de exortar cada Cristão, cada homem e mulher de boa vontade, toda a Igreja a sair e a ir até às periferias do nosso mundo. Desafia-nos a sermos Rosto, a sermos Jesus Cristo. Poderíamos, então, perguntar: quais são esses lugares, essas periferias? Ou, então, perguntar como os seguidores de João Baptista: «Que devemos fazer?» (Lc 3, 10, III Domingo do Advento). Quero acreditar que onde quer que estejamos e com quem nos encontramos, aí podemos e devemos fazer transparecer o Rosto Misericordioso de Deus: Na escola, com os nossos amigos e amigas de carteira e de recreio. Quantos não são aqueles que ainda não conhecem verdadeiramente este Rosto! Na Universidade, onde aprofundamos o Saber. Quantos não são aqueles e aquelas que ainda não descobriram verdadeiramente este Rosto! No meu local de trabalho, onde ganho o meu sustento e o da minha família. Quantos não são aqueles que têm medo de dar a conhecer verdadeiramente este Rosto! No meu espaço de lazer, convívio e diversão. Quantos não são aqueles que não conseguem afirmar este Rosto! Na nossa casa, no Grupo ou Movimento a que pertenço. Quantas são a vezes em que não consigo ser verdadeiramente este Rosto!...

Acredito que este Ano Extraordinário da Misericórdia nos vai despertar, provocar e ajudar a voltar-nos para o Essencial: «Quem me vê, vê o Pai», disse Jesus (Jo 14, 7).

Acredito que este Ano de Fé Anunciada, no Quinquénio que estamos a celebrar em toda a Diocese, o nosso maior desafio para a Missão será sentirmo-nos mais corresponsáveis e verdadeiros Discípulos.

Acredito que em todas as periferias seremos viva voz da Misericórdia Deus.

Saúdo cada Pároco, cada paroquiano do nosso querido Arciprestado. Desejo que o Menino-Deus seja o nosso maior Presente e em todas as Comunidades, Família de famílias.

Faço minhas as palavras do nosso querido Arcebispo: «Bom Natal nesta peregrinação do encontro diário com Cristo em todos os rostos humanos, sobretudo naqueles que se encontram mais desencantados com a vida e naqueles que se afastam ou vivem à margem de Deus». (Dom Jorge Ortiga, Mensagem de Natal 2015)

 

Pe. Armindo Paulo da Silva Freitas, Arcipreste



publicado por arciprestadovnfamalicao às 14:54 | link do post | comentar

Quinta-feira, 24 de Dezembro de 2015

Cruz.Misericórdia.JPG

 A partir da dinâmica de trabalho pastoral partilhado da Unidade Pastoral de algumas paróquias do Arciprestado de Vila Nova de Famalicão (Cavalões, Brufe, Santo Adrião, Cabeçudos, Esmeriz, Palmeira, Nine, Mouquim, Lemenhe, Louro, Outiz, Jesufrei, Arnoso Santa Maria, Arnoso Santa Eulália e Sezures), surgiu a iniciativa de assinalar o Ano Jubilar da Misericórdia através de uma dinâmica evangelizadora e congregadora da família e das comunidades paroquiais. Surge assim a Cruz da Misericórdia como desafio do presente ano também dedicado, na Arquidiocese de Braga, à Fé Anunciada (Ano Missionário): sair em missão, anunciando a misericórdia.

Esta iniciativa pretende ajudar a viver o Ano Santo da Misericórdia, um Jubileu extraordinário proclamado pelo Papa Francisco, iniciado durante a solenidade da Imaculada Conceição, a 8 de Dezembro, e que terminará no dia 20 de Novembro de 2016 com a solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo.

Dado que a mensagem da Cruz é um dos símbolos mais belos e profundos do mundo, intuiu-se construir uma cruz que pudesse habitar a casa de cada família, de cada paroquiano. Uma Cruz fácil de se transportar, ao colo, como uma criança, à vista, transparente e sem véu… como um sinal que se vê e que fala silenciosamente.

A Cruz realizada é feita de forma manual, utilizando técnicas artesanais, que implicam perícia e cuidado, que fazem da mesma uma peça de arte, de contemplação, de leitura e oração. Caracteriza-se, ainda, pelo uso de madeiras no seu estado natural, de variadíssimas proveniências do mundo, destacando-se pela sua cor e texturas, o que lhe confere uma universalidade missionária profunda.

Esta Cruz é assinada pelo autor, Norberto Fonseca, e foi integrada na sua marca Oporto Unique Design, com a garantia da qualidade de design e produção da mesma.

A dinâmica começou, tal como o Jubileu, no dia 8 de Dezembro e cada família e movimento paroquial que vai acolhendo esta Cruz, tem a missão de se reunir à volta da mesma, para a oração e reflexão, como meio para viver a experiência enriquecedora do sacramento da Misericórdia, do Perdão e da Reconciliação, para redescobrir que no centro do sacramento da penitência está a misericórdia de Deus, muito mais do que o pecado.

Esta Cruz da Misericórdia pretende também traduzir o enxerto do céu dentro da terra, das nossas aldeias e cidades. A Árvore da Vida que é plantada no campo de cada casa, de cada vida, espera o seu fruto. Na incerteza de cada dia, nas assimetrias da vida, de cada pessoa única e irrepetível, a surpresa, os desencantos, as esperanças, a novidade, a fé… há a certeza segura e silenciosa deste pedestal de madeira vertical, desta trave, deste elo de ligação com a misericórdia de Deus. Deste ponto de apoio nasce a horizontalidade da comoção, depois o espanto, e ainda o enamoramento de um abraço que quer encontrar e tocar a humanidade dissentida.

Depois de dois mil anos, sentimos, também nós, como as mulheres, o centurião, o ladrão, que na cruz reside a suprema atracção de Deus. Nela vemos a imagem mais pura e mais elevada que Deus deu de Si mesmo, pois, como afirmava o teólogo Karl Rahner, «para saber quem é Deus, devo apenas ajoelhar-me aos pés da Cruz».

Também o nosso Arciprestado de V. N. Famalicão partilha este sentimento e se associa a este momento festivo, agradecendo a Deus, unidos na oração com toda a Igreja, esta dádiva para a nossa Arquidiocese.Também o nosso Arciprestado de V. N. Famalicão partilha este sentimento e se associa a este momento festivo, agradecendo a Deus, unidos na oração com toda a Igreja, esta dádiva para a nossa Arquidiocese.Também o nosso Arciprestado de V. N. Famalicão partilha este sentimento e se associa a este momento festivo, agradecendo a Deus, unidos na oração com toda a Igreja, esta dádiva para a nossa Arquidiocese.

 

Departamento Arciprestal da Comunicação Social



publicado por arciprestadovnfamalicao às 15:29 | link do post | comentar

Quarta-feira, 23 de Dezembro de 2015

 

“A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi ao dono da seara que mande trabalhadores para a sua seara.”

                                                                                                                                                 (Lucas 10, 2)

 

“Sonho com uma opção missionária capaz de transformar tudo, para que os costumes, os estilos, os horários, a linguagem e toda a estrutura eclesial se tornem um canal proporcionado mais à evangelização do mundo actual que à autopreservação. A reforma das estruturas, que a conversão pastoral exige, só se pode entender neste sentido: fazer com que todas elas se tornem mais missionárias, que a pastoral ordinária em todas as suas instâncias seja mais comunicativa e aberta, que coloque os agentes pastorais em atitude constante de «saída» e, assim, favoreça a resposta positiva de todos aqueles a quem Jesus oferece a sua amizade.”

 

                                                                        (Papa Francisco, A Alegria do Evangelho, 27)

 

“Depois do pecado de Adão e Eva, Deus não quis deixar a humanidade sozinha e à mercê do mal. Por isso, pensou e quis Maria santa e imaculada no amor (cf. Ef 1, 4), para que Se tornasse a Mãe do Redentor do homem. Perante a gravidade do pecado, Deus responde com a plenitude do perdão. A misericórdia será sempre maior do que qualquer pecado, e ninguém pode colocar um limite ao amor de Deus que perdoa.”

 

   (Papa Francisco, Bula de Proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia)

 

Arciprestado de V. N. Famalicão



publicado por arciprestadovnfamalicao às 18:17 | link do post | comentar

Quinta-feira, 17 de Dezembro de 2015

 

“Alegrai-vos sempre no Senhor! De novo vos digo: alegrai-vos!”

 

                                                                                                            (Carta aos Filipenses 4, 4)

 

“Espero que todas as comunidades se esforcem por usar os meios necessários para avançar no caminho de uma conversão pastoral e missionária, que não pode deixar as coisas como estão. Neste momento, não nos serve uma «simples administração». Constituamo-nos em «estado permanente de missão», em todas as regiões da Terra.”

 

                                                                     (Papa Francisco, A Alegria do Evangelho, 25)

 

“Precisamos sempre de contemplar o mistério da misericórdia. É fonte de alegria, serenidade e paz. É condição da nossa salvação. Misericórdia: é a palavra que revela o mistério da Santíssima Trindade. Misericórdia: é o acto último e supremo pelo qual Deus vem ao nosso encontro. Misericórdia: é a lei fundamental que mora no coração de cada pessoa, quando vê com olhos sinceros o irmão que encontra no caminho da vida. Misericórdia: é o caminho que une Deus e o homem, porque nos abre o coração à esperança de sermos amados para sempre, apesar da limitação do nosso pecado.”

 

(Papa Francisco, Bula de Proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia)

 

Arciprestado de V. N. Famalicão



publicado por arciprestadovnfamalicao às 01:49 | link do post | comentar

Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2015

Cartaz.Vigília.JPG

O Arciprestado de Vila Nova de Famalicão assinala a abertura do Ano Santo da Misericórdia, proclamado pelo Papa Francisco e iniciado no passado dia 8, durante a solenidade da Imaculada Conceição, com a realização de uma Vigília de oração.

Esta iniciativa tem lugar na Igreja Nova Matriz de Famalicão, no sábado, dia 12 de Dezembro, pelas 21h00, sendo animada pelo grupo de jovens da paróquia de Santiago d’Antas (JIM).

Convidam-se todos os cristãos, particularmente os provenientes das comunidades do Arciprestado famalicense, em especial os jovens e os seus grupos, a participar nesta celebração, naquela que será uma oportunidade privilegiada para que cada um, tal como nos exorta o Papa Francisco, possa colocar no centro das atenções “o Deus misericordioso, que convida todos a voltar-se a Ele”, pois “o encontro com Ele inspira a virtude da misericórdia”.

 

Departamento Arciprestal da Comunicação Social



publicado por arciprestadovnfamalicao às 18:20 | link do post | comentar

Dom_Nuno_Almenida.jpg

O Papa Francisco nomeou recentemente D. Nuno Almeida como Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Braga.

O prelado vai, assim, juntar-se a D. Jorge Ortiga, Arcebispo Primaz de Braga desde 1999, e D. Francisco José Senra Coelho, Bispo Auxiliar nomeado em 2014.

D. Nuno Manuel dos Santos Almeida nasceu a 1 de Agosto de 1962, em Sátão, Diocese de Viseu. Em 1972 ingressou no Seminário Menor de S. José, em Fornos de Algodres. Foi ordenado sacerdote a 19 de Outubro de 1986.

De 1986 a 1989, foi pároco em Arões, concelho de Vale de Cambra. De 1989 a 1994, exerceu a missão de secretário do Bispo de Viseu, D. António Monteiro, trabalhando também noutros serviços diocesanos. Foi pároco de Sezures, Esmolfe e Trancoselos, no concelho de Penalva do Castelo, de 1994 a 2004, ano em que começou a sua caminhada como chefe de gabinete do Bispo de Viseu, D. António Marto. Desde Outubro de 2013 que é pároco “in solidum” das 11 paróquias do arciprestado de Fornos de Algodres.

Actualmente encontra-se a concluir o doutoramento em teologia dogmática com a tese: “Busca de Sentido da Vida e Reconciliação Cristã. Leitura teológica do pensamento de Viktor Frankl”, pela Universidade Salesiana de Roma.

A sua ordenação episcopal está marcada para o dia 31 de Janeiro, pelas 16h00, na Sé de Viseu, de onde o novo Bispo é natural.

D. Nuno Almeida mostrou-se feliz pela nomeação do Santo Padre, a quem agradeceu a confiança depositada, e prometeu o seu “contributo humilde e decidido para que se realize um dos seus votos neste Ano Santo: que cada comunidade cristã seja «oásis de Misericórdia» ”.

Na sua saudação à Arquidiocese de Braga, o prelado dirigiu-se a todos os membros do clero “com alegria”, mas deixou também uma palavra de esperança às “famílias, sem esquecer os que mais sofrem e os que vivem momentos mais difíceis com muita alegria”, reiterando a sua disponibilidade “em servir, procurando seguir a Jesus Cristo, o Bom Pastor”.

O novo Bispo Auxiliar pediu a D. Jorge Ortiga “e a todos” que o ajudem a viver, “com entusiasmo”, o seu lema episcopal: “Estou entre vós como aquele que serve” (Lc 22,27). “Servir sempre e a todos para que Jesus reine nas comunidades cristãs, nas famílias e, primeiro que tudo, no coração de cada um”, sublinhou.

Por sua vez, o Arcebispo Primaz, D. Jorge Ortiga, considerou este um “momento festivo”, salientado que a juventude do novo Bispo virá rejuvenescer o entusiasmo da Arquidiocese e que as suas “capacidades e dotes humanos irão impulsionar a conversão pastoral”.

Também o nosso Arciprestado de Vila Nova Famalicão partilha este sentimento e se associa a este momento festivo, agradecendo a Deus, unidos na oração com toda a Igreja, esta dádiva para a nossa Arquidiocese.

Também o nosso Arciprestado de V. N. Famalicão partilha este sentimento e se associa a este momento festivo, agradecendo a Deus, unidos na oração com toda a Igreja, esta dádiva para a nossa Arquidiocese. Também o nosso Arciprestado de V. N. Famalicão partilha este sentimento e se associa a este momento festivo, agradecendo a Deus, unidos na oração com toda a Igreja, esta dádiva para a nossa Arquidiocese. Também o nosso Arciprestado de V. N. Famalicão partilha este sentimento e se associa a este momento festivo, agradecendo a Deus, unidos na oração com toda a Igreja, esta dádiva para a nossa Arquidiocese. 

 

Departamento Arciprestal da Comunicação Social



publicado por arciprestadovnfamalicao às 17:58 | link do post | comentar

Quarta-feira, 9 de Dezembro de 2015

 

“Vamos a outros lugares, às povoações vizinhas, a fim de pregar aí também, porque foi para isso que Eu vim.”

                                                                                                                                 (Marcos 1, 38)

 

“A Igreja «em saída» é a comunidade de discípulos missionários que «primeireiam», que se envolvem, que acompanham, que frutificam e festejam. Primeireiam – desculpai o neologismo –, tomam a iniciativa! A comunidade missionária experimenta que o Senhor tomou a iniciativa, precedeu-a no amor (cf. 1Jo 4,10), e, por isso, ela sabe ir à frente, sabe tomar a iniciativa sem medo, ir ao encontro, procurar os afastados e chegar às encruzilhadas dos caminhos para convidar os excluídos. Vive um desejo inexaurível de oferecer misericórdia, fruto de ter experimentado a misericórdia infinita do Pai e a sua força difusiva. Ousemos um pouco mais no tomar a iniciativa!”

                                                                       

(Papa Francisco, A Alegria do Evangelho, 24)

 

“Jesus Cristo é o rosto da misericórdia do Pai. O mistério da fé cristã parece encontrar nestas palavras a sua síntese. Tal misericórdia tornou-se viva, visível e atingiu o seu clímax em Jesus de Nazaré. O Pai, « rico em misericórdia » (Ef 2, 4), depois de ter revelado o seu nome a Moisés como « Deus misericordioso e clemente, vagaroso na ira, cheio de bondade e fidelidade » (Ex 34, 6), não cessou de dar a conhecer, de vários modos e em muitos momentos da história, a sua natureza divina. Na « plenitude do tempo » (Gl 4, 4), quando tudo estava pronto segundo o seu plano de salvação, mandou o seu Filho, nascido da Virgem Maria, para nos revelar, de modo definitivo, o seu amor. Quem O vê, vê o Pai (cf. Jo 14, 9). Com a sua palavra, os seus gestos e toda a sua pessoa,Jesus de Nazaré revela a misericórdia de Deus.”

 

   (Papa Francisco, Bula de Proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia)

 

 

Arciprestado de V. N. Famalicão



publicado por arciprestadovnfamalicao às 15:22 | link do post | comentar

Terça-feira, 8 de Dezembro de 2015

Logo.Jubileu.Misericórdia.jpg

Começou com a abertura da Porta Santa na Basílica de S. Pedro, durante a solenidade da Imaculada Conceição, neste 8 de Dezembro, o “jubileu extraordinário” centrado na “misericórdia de Deus”, que o Papa Francisco anunciou no passado mês de Março. Este Ano Santo especial termina no dia 20 de Novembro de 2016 com a solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo.

A abertura do Jubileu tem um significado especial já que acontece também no quinquagésimo aniversário do encerramento do Concílio Vaticano II, que ocorreu em 1965. Trata-se, portanto, de um impulso para que a Igreja continue o trabalho iniciado com o Concílio Vaticano II, como informou o Departamento de Imprensa da Santa Sé em comunicado.

Este é o primeiro jubileu desde o que foi convocado pelo Papa João Paulo II no ano 2000, para assinalar o início do terceiro milénio.

Com o Jubileu da Misericórdia, o Papa Francisco coloca no centro das atenções “o Deus misericordioso, que convida todos a voltar-se a Ele”, pois“o encontro com Ele inspira a virtude da misericórdia”.

O Papa explicou que a iniciativa nasceu da sua intenção de tornar “mais evidente” a missão da Igreja de ser “testemunha da misericórdia”, defendendo que “ninguém pode ser excluído da misericórdia de Deus” e que a Igreja “é a casa que acolhe todos e não recusa ninguém”.

 Como enfatiza o Sumo Pontífice, “as suas portas estão escancaradas para que todos os que são tocados pela graça possam encontrar a certeza do perdão. Quanto maior é o pecado, maior deve ser o amor que a Igreja manifesta aos que se convertem”.

O Santo Padre sublinhou que o julgamento de Deus é o da “misericórdia”, numa atitude de amor que “vai para lá da justiça”, e desafiou os fiéis a não ficar pela “superfície das coisas”, sobretudo quando está em causa uma pessoa.“Somos chamados a ver mais além, a concentrar-se no coração para ver de quanta generosidade é capaz cada um”, apelou.

Para assinalar a abertura do Ano Santo da Misericórdia no Arciprestado de Vila Nova Famalicão, realiza-se na Nova Matriz, no sábado, dia 12, pelas 21h00, uma vigília de oração animada pelo grupo de jovens da paróquia de Santiago d’Antas (JIM).

Convidam-se todos os cristãos,particularmente os provenientes das comunidades do Arciprestado famalicense, em especial os jovens e os seus grupos, a participar nesta celebração.

Também o nosso Arciprestado de V. N. Famalicão partilha este sentimento e se associa a este momento festivo, agradecendo a Deus, unidos na oração com toda a Igreja, esta dádiva para a nossa Arquidiocese.Também o nosso Arciprestado de V. N. Famalicão partilha este sentimento e se associa a este momento festivo, agradecendo a Deus, unidos na oração com toda a Igreja, esta dádiva para a nossa Arquidiocese.Também o nosso Arciprestado de V. N. Famalicão partilha este sentimento e se associa a este momento festivo, agradecendo a Deus, unidos na oração com toda a Igreja, esta dádiva para a nossa Arquidiocese.

 

Departamento Arciprestal da Comunicação Social



publicado por arciprestadovnfamalicao às 13:46 | link do post | comentar

Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12

15
16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Coordenadores Paroquiais ...

PARA AJUDAR A MELHOR VIVE...

Formação de Adultos desaf...

Movimentos da Acção Catól...

Movimento “Eu Sou Matriz”...

Dia Internacional do Trab...

Arquidiocese de Braga ini...

Antas acolheu em festa o ...

Novo pároco de Antas toma...

Crismandos de várias comu...

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

facebook
links
blogs SAPO
subscrever feeds